Blog

Sonhar Grande

Eu fico surpresa com a quantidade de pessoas que eu conheço que têm dificuldade em sonhar grande. É incrível como no Brasil não somos incentivados a ser grandes. Nem no colégio, nem mesmo depois de adultos quando decidimos abrir um negócio. Quem já pesquisou sobre, sabe do que estou falando.

O custo para abrir uma empresa no Brasil é muito alto. E depois, se você mudar de ideia e quiser fechar a empresa, o custo é também muito alto. Nós não temos aula de empreendedorismo no colégio, algumas faculdades inclusive não têm essa disciplina.

Na verdade fica bem fácil de entender porque tantos preferem trabalhar para os outros do que empreender. Mas também precisamos nos atentar a um fato: não é porque não somos incentivados a fazer algo, que não devemos fazer. Se o país é pouco incentivador, então isso quer dizer que são poucos os que empreendem, se são poucos que empreendem, temos um mercado repleto de oportunidades nos esperando. É tudo uma questão de perspectiva!

Como tudo na vida, nós precisamos ver pelo lado positivo, POR FAVOR! Se formos ser sempre negativos, não vamos sair do lugar. E se no colégio e faculdade muitas vezes não temos o incentivo, existem inúmeras empresas por aí que nos ajudam nesse momento de iniciar um empreendimento. Do menor e mais simples até o mais complexo e inovador. Falarei sobre eles em um outro post.

Aqui só quero dizer: nós somos do tamanho dos nossos sonhos, então SONHE GRANDE!

Qual tipo de empreendedor(a) você é?

Segundo o site da Endeavor, existem seis tipos de empreendedores. O “Nato”, que nasceu para ser empreendedor; o “Meu jeito”, que empreende pela necessidade de fazer as coisas à sua própria maneira; o “Situacionalista”, que não pretende empreender, a menos que a oportunidade venha pronta e seja irrecusável; o “Em busca do milhão”, que foca no retorno financeiro que o empreendimento pode dar; o “Herdeiro”, que já vive entre empreendedores da família e provavelmente já tem uma empresa para gerenciar; e o “Idealista”, que quer empreender para poder transformar o mundo.

Para quem não sabe, a Endeavor é uma organização global sem fins lucrativos que crê no empreendedorismo como maior alavanca econômica para o desenvolvimento de um país. No Brasil, o objetivo da Endeavor é transformar um mercado de empreendedorismo por necessidade, falta de ambição e burocracia em excesso, em um país que favorece o crescimento, que seja berço de empreendedores inovadores, que sonham grande e possuam alcance global. Neste site há muita informação e auxílio para novos empreendedores, além de atualizações para empreendedores mais antigos.

Neste site, você pode facilmente descobrir qual o seu perfil empreendedor através de um teste. Faça e descubra! Eu já fiz o meu, é claro. Eu tenho o perfil do “Meu jeito”, que tem absolutamente tudo a ver comigo, deu super certo!

Empresa Júnior

Para quem está cursando o Ensino Superior, aqui vai uma super dica. Você já ouviu falar em Empresa Júnior? Você sabe se a instituição que você estuda tem uma dessas? Você sabia que pode criar uma? E ganhar dinheiro fazendo isso? E ainda receber horas complementares por participar de uma Empresa Júnior? Sabia que isso valoriza muito o seu currículo?

Pois bem, eu tenho 22 anos, estou no 7º semestre da faculdade e ainda não havia escutado falar sobre isso. Muito pelo fato de que na minha faculdade hoje não há uma Empresa Júnior, mas também por falta de informação. Aparentemente, para quem não estuda em um instituição que tenha uma dessas,  a informação é pouco disseminada.  Mas a ideia é ótima e quando aplicada de forma correta, traz ótimos resultados a todos os envolvidos. Então, quando surgiu o assunto em uma aula, decidi fazer uma pesquisa sobre o assunto, além de pensar “por que não criar uma na minha faculdade?”.

Mas, afinal, o que é uma Empresa júnior? É uma associação que ocorre dentro de uma instituição de Ensino Superior sem fins lucrativos e com fins educacionais formada e gerida exclusivamente por alunos da instituição. Essas empresas, embora formadas apenas por alunos, precisam de orientação de professores, além é claro da autorização da instituição. O objetivo destas empresas é fazer com que o polo da instituição seja berço de ideias inovadoras, tecnológicas e onde os alunos possam desenvolver projetos para suas futuras empresas, bem como para outras empresas que queiram “comprar a ideia” dos alunos para implantar na sua Organização. Em uma Empresa Júnior, os alunos podem exercitar seu lado empreendedor e pesquisador, trabalhando forte na geração de novas ideias, contribuindo para a resolução de problemas e necessidades de grandes empresas. Assim, as Empresas Juniores contemplam as necessidades de três clientes principais:

1 – Os alunos: Que se utilizam da interação entre os membros da empresa e da troca de conhecimento e experiências para se desenvolverem pessoal, profissional e academicamente;

2 – As empresas: Que se beneficiam com os projetos desenvolvidos pelos alunos, cujas características são a alta qualidade dos trabalhos, garantida pela orientação dos professores, e o baixo investimento, uma vez que as empresas juniores não visam o lucro. Assim, as empresas conseguem bons projetos a um custo muito baixo;

3 – As universidades: Que são favorecidas pelo retorno em imagem institucional, garantido pela divulgação que as Empresas Juniores necessariamente fazem ao seu nome. As Universidades que investem nas Empresas Juniores tem o retorno de imagem e, também, um retorno no que diz respeito à atração de novas parcerias, alunos e clientes (no caso de prestação de consultorias etc).

Recentemente, o Bom Dia Brasil apresentou uma reportagem sobre as empresas juniores, onde destacava que o Brasil é hoje o país com o maior número de empresas juniores do mundo. São mais de 1.200 empresas, onde 90% de seus clientes são micro e pequenos empresários. Fato este que demonstra a real importância deste modelo empreendedor, tanto para alunos quanto para organizações da região onde a empresa júnior está instalada. Como vimos, nos dias de hoje, a Empresa Júnior se apresenta como uma excelente alternativa para alicerçar uma revolução em toda a metodologia de ensino superior do Brasil e do mundo. Substituindo arraigados paradigmas, rumo à uma política de completo incentivo ao empreendedorismo acadêmico. Por isso, é importante que cada vez mais universidades incentivem esta modalidade de ensino e vivência profissional. Bem como, cada vez mais os alunos busquem participar e/ou criar uma Empresa Júnior nas instituições onde estudam.

Atualmente, eu e um grupo de colegas estamos criando uma Empresa Júnior em nossa Faculdade. Assim que o projeto estiver mais maduro, compartilharei aqui sobre o passo a passo, como funciona e tudo mais! Por enquanto, apenas fica a dica desse tipo de trabalho empreendedor, inovador e rentável que nós, enquanto alunas(os), podemos criar e/ou fazer parte em nossas Instituições de Ensino.

FONTES:

http://www.programaempresajr.com.br/conteudo/tutotial/criacao.pdf

http://www.sobreadministracao.com/empresa-junior-o-que-e-e-comofunciona/

Cinco itens fundamentais para a make do dia a dia

Já sabemos da importância que é dada no mundo corporativo para a nossa imagem profissional, isso serve tanto para mulheres quanto para homens. Portanto, há a necessidade de se portar bem, cuidar do cabelo, da roupa e da maquiagem. Cansei de, em entrevistas de emprego, ouvir coisas do tipo “para trabalhar em banco, vocês precisam estar SEMPRE com roupa social e BEM maquiadas”; “na entrevista com o gestor tentem ir bem arrumadas e não esqueçam de usar uma BOA maquiagem”; “não esqueçam que é muito importante não exagerar na maquiagem”.

Com base nisso, decidi pensar no que seria o mínimo para uma boa maquiagem para o trabalho. Não só para as entrevistas, mas para o dia a dia de quem trabalha em empresas que presam pela imagem dos seus colaboradores. Mas o que seria uma “boa” maquiagem para o trabalho? O que eu preciso levar na minha necessaire para manter a minha imagem profissional? Quais os itens básicos para estar “bem maquiada” como tanto nos pedem e sem “exagerar”?

Para quem ama maquiagem como eu, é um pouco mais simples, só é necessário cuidar para não exagerar (sombras escuras, batons muito fortes, blush muito marcado, coisas assim). Para quem não gosta, pode ser um pouco mais chato de fazer essa adaptação. Portanto, o objetivo aqui é dar dicas de como fazer uma boa maquiagem usando menos produtos possíveis. Eu sou apaixonada pelos produtos da Mary Kay, então vou indicar os produtos da marca pois eu conheço, uso e sei que são de excelente qualidade, mas é claro que cada uma pode usar a marca que gostar mais e se sentir mais confortável.

Então, o que eu SEMPRE levo na minha necessaire? Qual o meu “kit de sobrevivência”?

O ideal é primeiro preparar a pele antes de mais nada, mas como aqui estamos falando de “kit de sobrevivência” para a maquiagem ideal, vou pular essa parte. Então, o primeiro item fundamental que tenho na necessaire é a base. Item básico para a maquiagem do dia a dia, uma boa base vai uniformizar o tom de pele, esconder imperfeições e preparar a pele para os demais produtos.  A base que eu uso é a Beige 4 da linha Time Wise efeito Matte da Mary Kay. Essa base tem excelente fixação (dispensa o retoque durante o dia), deixa a pele bem sequinha e, para mim, dispensa o uso de pó. É sem dúvidas a minha favorita. Ela custa R$ 64,00 e dura muito!

base

Segundo item fundamental: pincel para a base. A base dura mais e fica com um acabamento muito melhor usando um bom pincel para aplicação. Eu uso o pincel para base em pó da Mary Kay (embora a minha base seja líquida)  e vai por mim, esse pincel faz toda a diferença! Usando ele, fica mais fácil de espalhar a base uniformemente, você usa uma quantidade menor de base, economizando produto e o acabamento fica impecável! Ele custa R$ 34,90.

pincel

O terceiro item que eu acho indispensável é o rímel. Existem vários modelos de inúmeras marcas que são excelentes, vai de cada uma experimentar e usar o que se sentir mais confortável. Eu sou apaixonada pelo Lash Intensity da Mary Kay, porque além de deixar os cílios parecendo cílios postiços, ele tem vitaminas que ajudam a preservar o fio, além de ter excelente fixação ao mesmo tempo que sai fácil com água se você der uma esfregadinha. Ela custa R$ 69,90.

rimel

O quarto item fundamental na minha necessaire é o blush. Eu uso um blush para peles morenas na minha pele clara pois eu gosto do efeito bronzeado que ele dá. Aqui também vai de cada uma experimentar e usar o que se sentir mais confortável. Eu uso o blush como blush e também como pó bronzeador para fazer os contornos do meu rosto e fica ótimo! Acabo usando apenas um produto para várias funções e dá super certo. O blush que uso é o Golden Cooper e custa R$ 39,90.

blush

O quinto item indispensável na necessaire para a maquiagem do dia a dia é, para mim, o mais importante: o batom! Sou apaixonada por batons e acho que o batom faz toda a diferença na maquiagem. Como tenho a pele bem clara, eu gosto muito de batons bem fortes e escuros, além do indispensável vermelhão. MAS para o trabalho essas cores ficam muito pesadas para qualquer tom de pele. Embora algumas empresas sejam mais tranquilas quanto a isso, enquanto não conhecemos a metodologia do lugar, o ideal é usar tons mais claros. O famoso e amado nude (e suas inúmeras variações de cor), o rosa claro e o “cor de boca” são os que eu uso e indico. Na Mary Kay existem várias cores super lindas e práticas para usar em entrevistas de emprego e no dia a dia no trabalho. As minhas cores favoritas (sem ser as fortes, que eu amo) são: amber suede, toffee, bellissimo nude, fiore rose, icy peach, taupe that, dusty rose, gingerbread e vários outros. Nessa lista tem tanto os batons com efeito matte quanto os batons cremosos.

batomatte

Esses são os cinco itens fundamentais para uma boa e simples maquiagem para o dia a dia no trabalho. Para mim, ainda faltam dois itens indispensáveis (porque eu gosto de me maquiar e não vivo sem eles), mas não incluí na lista anterior pois algumas meninas não fazem tanta questão quanto eu de usar. São eles: lápis de olho e delineador. O lápis que eu uso, amo e não troco por nada é o Black da Mary Kay, custa R$ 39,90. O delineador que estou usando agora é um que eu comprei há pouco tempo e gostei muito (e não é da Mary Kay, pois o delineador em caneta da Mary Kay não tem uma boa pigmentação) é o da Maybelline, tem a ponta bem fininha para facilitar o “gatinho” e tem ótima duração. Se eu não me engano, comprei ele por R$ 39,00.

Então, esses são meus produtos favoritos e indispensáveis para a maquiagem do dia a dia. Espero que tenham gostado das dicas e se vocês ainda não conhecem esses produtos vale a pena experimentar e adquirir ! Para quem não está acostumada, com estes 5 produtos que indiquei você pode tranquilamente fazer uma maquiagem rápida e simples, mas ao mesmo tempo excelente para o dia a dia. 😉

Qual look combina mais com o seu estilo?

Eu sempre fiquei muito incomodada com o fato de o mercado (e o mundo!) nos julgarem tanto pelas nossas roupas, cabelos e maquiagem. MAS isso é um fato e não vamos conseguir mudá-lo tão cedo. Se você está em busca de um emprego ou representa a sua empresa ou qualquer empresa que seja, você precisa sim estar bem arrumada. Hoje, a nossa imagem diz muito mais do que as nossas palavras.

Você sabia que quando nós estamos falando com alguém, quem nos ouve leva em consideração menos de 10% do que estamos falando ou escrevendo? Os 90% restantes são comunicação não verbal (nossa expressão corporal, intonação de voz, imagem, gesticulação, etc.). Pois é! Isso é involuntário e está comprovado cientificamente. Então, quando estamos em busca de um emprego ou representando alguma empresa ou posição, é muito importante sim que tomemos cuidado com o tom de voz, a expressão corporal, a intonação e com nossa imagem.

A partir disso, eu descobri uma maneira um pouco mais interessante de tomar esses cuidados com a minha imagem. A primeira coisa que eu fiz foi descobrir qual é o meu estilo, ou seja, quais as roupas que combinam mais com o meu jeito de ser. Fiz uns testes na internet mesmo e então tentei adequar o meu guarda-roupas a isso. E eu me surpreendi, porque no fim isso realmente tinha muito a ver comigo e eu gostei muito do resultado. Mudou minha cabeça e meu guarda-roupas. Além disso, percebi que as pessoas começaram a me dar mais credibilidade (é um saco, né? Mas é assim que acontece. Faz parte do mundo corporativo).

Ficaram curiosas para saber qual o look que melhor combina com o estilo de vocês? Eu fiz um teste bem prático pra vocês descobrirem, é só clicar aqui!

É um teste bem rápido de fazer, é só responder algumas perguntas e ao final, quando você dá “ok” o próprio teste te mostra qual o resultado. Faz lá e depois me diz o que achou! 🙂

Empodera – Psicologia Feminina

empodera2Está aí um projeto diferente e extremamente necessário no momento que vivemos no Brasil. O Empodera é um projeto desenvolvido pela Psicóloga Tayara Maronesi. A Tayara é psicóloga, especialista em saúde pública e atuou alguns anos com políticas públicas, participando de atividades relacionadas a saúde mental de mulheres, contra a violência à mulher, para a garantia dos direitos das mulheres — empoderamento feminino, por exemplo. Ela também tem um curso de doulas, que a deu embasamento sobre as questões emocionais da gravidez, do parto e puerpério. Além de um curso de coaching parental, que contribuiu nas relações familiares.

Através destas qualificações, a Tayara criou o Empodera, psicoterapia para mulheres e meninas adolescentes, individual e em grupo com atendimento no bairro Bom Fim, em Porto Alegre. Além disso, o Empodera possui grupos e orientação psicológica online. Mas o que é empoderar? E o que a Psicologia tem a ver com isso? Segue abaixo a explicação da própria Tayara.

A palavra EMPODERAR se refere ao ato de dar ou conceder poder para si próprio ou para outra pessoa. O ato de empoderar é considerado uma atitude social que consiste na conscientização sobre a importância do seu posicionamento e visibilidade como meio para lutar por seus direitos. Um dos atos de empoderar mais conhecido é o empoderamento feminino, ou seja, a tomada de consciência das mulheres de reivindicarem socialmente por igualdades de direitos. A psicoterapia pode contribuir para maior empoderamento das mulheres, trazendo:

– Autoconhecimento;
– Aumento da autoestima;
– Amor-Próprio;
– Desapegos;
– Mais ousadia;
– Equilíbrio;
– Possibilidade de vivenciar a sexualidade de forma saudável;
– Habilidade para administrar as emoções;
– Obter melhor qualidade de vida;
– Autoconfiança e segurança em si mesmo;
– Melhora na capacidade de se relacionar consigo e outras pessoas;
– Esclarecimento de foco e metas;
– Aumento na qualidade e quantidade de realizações;
– Mudança de comportamento frente à antigas situações não agradáveis;
– Melhora na saúde física;
– Elaborar as tantas “culpas” que são impostas às mulheres;
– Habilidade para controle do estresse;
– Libertação de prisões emocionais;
– Potencialização dos pontos fortes;
– Impulsionar mudanças positivas;
Entre outros benefícios para a vida.

Então, fica a dica para as mulheres que tenham alguma necessidade que queiram tratar com uma psicóloga de qualidade e que tem o objetivo de dar poder e força para cada mulher que atende. O perfil do Empodera no Facebook é https://www.facebook.com/EmpoderaPsi/.

Fiquem à vontade para entrar em contato e/ou conhecer mais sobre o projeto!

Educação e Mercado de Trabalho

Atualmente, as mulheres estão em maior número em escolas e universidades. Conforme o site Portal Brasil, entre 2000 e 2010 houve um aumento significativo da frequência escolar feminina de 9,8% em relação à masculina no ensino médio. Além disso, houve aumento de jovens que estavam cursando o nível educacional apropriado para a sua idade, subindo de 34,4% em 2000 para 47,3% em 2010.

Quanto ao ensino superior, houve também um contingente maior de mulheres entre os universitários com idade entre 18 e 24 anos, em 2010. As mulheres representavam 57,1% do total de estudantes na faixa etária. Como consequência disso, o nível educacional feminino se sobressai ao masculino na faixa etária de 25 anos ou mais.

Outro fator que interfere nestes números e que foi observado pela pesquisa é que houve diminuição na proporção de mães adolescentes (com idade entre 15 e 19 anos), o que segundo a pesquisa, faz com que menos mulheres jovens larguem os estudos. A gravidez precoce é apontada como um dos fatores pelos quais as adolescentes interrompem os estudos, comprometendo a formação profissional. O número de mães jovens no Brasil caiu de 14,8% para 11,8%, conforme a pesquisa.

Em contrapartida, o site O Globo trouxe em 31 de Outubro de 2014 uma matéria intitulada como “Aumenta desigualdade entre homens e mulheres no mercado formal de trabalho, aponta IBGE”. O estudo levou em consideração trabalhadores com carteira assinada entre 200 e 2010. Segundo o estudo, existem mais mulheres empregadas no mercado formal durante o período. Porém, o número de homens trabalhando com carteira assinada no período aumentou mais.

Ainda conforme o estudo divulgado pelo site O Globo, as jovens com média de idade entre 18 e 24 anos de idade recebiam cerca de 88% do salário dos homens, enquanto mulheres acima de 60 anos de idade ou mais, apresentavam rendimento equivalente a 64% do rendimento dos homens na mesma faixa etária. Ou seja, conforme vão adquirindo experiências e se desenvolvendo no mercado, o reconhecimento acaba sendo superior para os homens do que às mulheres.

Em complemento, o site Carta Capital apresentou uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que trouxe à tona a comparação entre a ocupação de cargos gerenciais entre homens e mulheres. O acesso de pessoas com 25 anos ou mais a cargos de direção ficou em 5% para as mulheres e 6,4% para os homens. A pesquisa ainda destaca que mesmo em áreas onde a atuação feminina costuma ser maior do que a masculina, o rendimento das mulheres em cargo de chefia corresponde a 60% dos rendimentos dos homens. Os dados também apontaram que as mulheres são ainda a maior parte dos trabalhadores ocupando trabalhos precários e não remunerados, o que diferencia os gêneros na inserção de mercado.

Quanto às mulheres negras, segundo matéria publicada no site Zero Hora em Março de 2017, tiveram aumento de 80% em sua renda em 20 anos, mas ainda está abaixo do rendimento de homens e de mulheres brancas. Conforme a pesquisa, o rendimentos de homens brancos foi o que menos cresceu, aumentando 11%, mas eles são ainda os que recebem melhor remuneração, seguidos de mulheres brancas, homens negros e mulheres negras, nesta ordem.

Concluo que há duas interpretações destes dados: a primeira é a indignação diante de disparidades tão marcantes em pleno século XXI, o que pode gerar revolta, medo, incômodo, raiva e/ou sensação de impotência. Por outro lado, embora que lentamente, os números estão aumentando e ficando mais próximos de estarem lado a lado. É necessário que as mulheres continuem trabalhando e se qualificando para manter este crescimento. Já vencemos muitas batalhas, mas ainda temos muitas outras a vencer, portanto precisamos crer em um futuro melhor e lutar para que ele aconteça o mais breve possível.

FONTES

O Globo. Aumenta desigualdade entre homens e mulheres no mercado formal de trabalho aponta IBGE. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/sociedade/aumenta-desigualdade-entre-homens-mulheres-no-mercado-formal-de-trabalho-aponta-ibge-14414312&gt;. Acesso em 11 de Maio de 2017.

Portal Brasil. Escolaridade das mulheres aumenta em relação a dos homens. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2014/11/escolaridade-das-mulheres-aumenta-em-relacao-a-dos-homens&gt;. Acesso em 11 de Maio de 2017.

Carta Capital. Diferença salarial entre homens e mulheres aumenta conforme grau de escolaridade. Disponível em: <https://www.cartacapital.com.br/sociedade/diferenca-salarial-entre-homens-e-mulheres-aumenta-conforme-grau-de-escolaridade-4679.html&gt;. Acesso em 11 de Maio de 2017.

Zero Hora. Renda das mulheres negras cresce 80% em 20 anos, mas ainda é menos que de homens e mulheres brancas. Disponível em: <http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/noticia/2017/03/renda-de-mulheres-negras-cresce-80-em-20-anos-mas-ainda-e-menor-que-de-homens-e-mulheres-brancas-9741752.html&gt;. Acesso em 11 de Maio de 2017.

Case de Sucesso I – Mary Kay Ash

mk ashUma das maneiras de empreender utilizando um modelo de baixo investimento inicial é através das empresas de marketing de rede. Nesta área, há inúmeros exemplos de mulheres que alcançaram o sucesso com carreiras oportunizadas por este tipo de empresa.

As empresas de marketing de rede no Brasil precisam estar regulamentadas pela ABEVD (Associação Brasileira de Empresas de Vendas Diretas), que é o órgão que regulamenta as empresas de rede no país.

Mary Kay Ash (1918-2001) é fundadora de uma das empresas de marketing de rede que estão inseridas no Brasil, a Mary Kay Cosmetics. A empresa norte-americana – devidamente já associada à ABEVD, foi fundada em 1963 e trabalha com venda direta de cosméticos para homens e mulheres, está há mais de 40 anos no mercado mundial e há 18 anos no Brasil. Já consolidada, a marca conta com produtos de alta qualidade que possuem 100% de garantia de satisfação, caso a(o) cliente tenha algum problema com o produto durante o seu uso, ela(ele) tem o direito de entrar em contato com a consultora que o vendeu e solicitar troca ou reembolso.

A Mary Kay Cosmetics surgiu com a necessidade de Ash em encontrar uma oportunidade no mercado onde pudesse desenvolver seus conhecimentos e, ao mesmo tempo, ganhar tanto quanto um homem que ocupasse o mesmo cargo. Mãe solteira, com poucas oportunidades no mercado, prestes a se aposentar e com pouco dinheiro a investir, Ash listou todos os aspectos positivos e negativos de cada experiência sua e então percebeu que havia elaborado “a receita do sucesso”, escolheu um produto com o qual se identificasse e com a ajuda de seus filhos, fundou a empresa.

A missão inicial da empresa era “Enriquecer a vida das mulheres” e, com o tempo e com homens ingressando na empresa, passou a ser “Enriquecer a vida das pessoas”. Além disso, a empresa possui uma filosofia que busca proporcionar às mulheres o equilíbrio entre a vida pessoal, profissional e espiritual, sendo assim “1º Deus; 2º a família; 3º a carreira. Ash acreditava que, tendo estes pilares bem estruturados e alinhados, o sucesso na vida pessoal e profissional é garantido.

Atualmente, a Mary Kay Cometics é TOP 5 em Skincare no mundo, é a terceira maior empresa de vendas de cosméticos no Brasil, possui cerca de 440.000 mulheres empreendedoras no país ganhando até R$ 220.000,00 ao mês e já está consolidada no mercado mundial, estando presente em mais de 35 países. Mary Kay Ash foi uma das maiores empreendedoras norte-americanas de todos os tempos.

Frases de Mary Kay Ash

“Comece esse caminho para o sucesso seguindo duas regras: número um, comece; número dois, não desista”.

“Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você”.

“Não se limite. Muitas pessoas limitam-se ao que elas pensam que são capazes de fazer. Você pode ir tão longe quanto sua mente permitir. Lembre-se, você tem poder de alcançar tudo o que acredita”.

Para conhecer mais sobre a história de Mary Kay Ash, acesse: <https://www.youtube.com/watch?v=HBmiuIDJ2Ec>.

Dica de Livros para Leitura

Milagres que acontecem

The Mary Kay Way

REFERÊNCIAS

Sobre Mary Kay. Mary Kay Cosmetics. Disponível em: <https://www.marykay.com.br/pt-br/about-mary-kay?iad=topnav_sobremk&gt;. Acesso em 10 de Maio de 2017.

Veja como consultoras da Mary Kay faturam até 200 000 reais por mês. Revista Veja. Disponível em: <http://vejasp.abril.com.br/cidades/mary-kay-sucesso-empresa/&gt;. Acesso en 10 de Maio de 2017.

ABEVD: Empresas associadas. Disponível em: <http://www.abevd.org.br/empresas-associadas/associada/mary-kay/&gt;. Acesso em 10 de Maio de 2017.

Empreender Feminino

 

empreender femininoEste blog surgiu de uma necessidade pessoal de obter maior conhecimento sobre empreendedorismo, sobre mulheres empreendedoras, cases de sucesso e ter um local que dispusesse de informações úteis relacionadas ao assunto de modo prático. Assim, acabei criando o blog, para mim mesma e para quem mais sentisse as mesmas necessidades que eu.

A intenção aqui não é apenas dissertar sobre temas relacionados ao empreendedorismo feminino, mas colocar conteúdos práticos, relevantes e com embasamento teórico. Além disso, a cada post pretendo me aprofundar mais no assunto e melhorar os conteúdos aqui.

Hoje, as mulheres já estão se inserindo mais no mercado de trabalho e recebendo salários mais parelhos aos dos homens, porém nos cargos mais altos as estatísticas ainda são pouco animadoras. Ao mesmo tempo em que mais mulheres se formam a cada ano no ensino superior, ainda recebem cerca de 80% do salário recebido pelos homens. Por outro lado, mulheres jovens têm seus salários em até 93% do salário recebido pelos homens. O que mostra que realmente está havendo uma mudança, ainda que silenciosa, no mercado de trabalho atual.

Portanto, tenho esperança de um mundo melhor, onde podemos crescer e nos desenvolver cada vez mais, lado a lado com os homens, onde o que vale é o conhecimento e experiências de cada um, independentemente de gênero. Então, aqui neste blog vou trazer alguns cases e dicas importantes que aprendi ao longo da minha vida acadêmica e experiências profissionais, agregando valor e crescimento.

FONTE: LECHTER, Sharon. Pense e enriqueça: para mulheres. Porto Alegre: CDG, 2014.